,

O QUE VOCÊ PODE NÃO PERCEBER SOBRE AS BIRRAS DE SEU FILHO

09:31:00


Olá Amores! 


Como vocês estão?  Hoje é o  dia da Psicóloga Aline Brito, e o assunto é bem interessante , eu já passei por isso e na época não tive nenhuma informação, mas agora com essa facilidade da Internet encontramos respostas para alguns eventuais perrengues que a gente passa. 



  


Acessos de raiva podem ser frustrantes para qualquer mãe / pai. Mas, em vez de vê-los como desastres, trate os acessos de raiva como oportunidades de educação. Mas por que as crianças têm acessos de raiva? Os acessos de raiva variam de choramingar e chorar a gritar, chutar, bater e prender a respiração. Eles são igualmente comuns em meninos e meninas e geralmente acontecem entre as idades de 1 a 3. Algumas crianças podem ter acessos de raiva com frequência e outras raramente. As birras são uma parte normal do desenvolvimento infantil. Eles são como as crianças mostram que estão chateadas ou frustradas.

As birras podem acontecer quando as crianças estão cansadas, com fome ou desconfortáveis. Eles podem ter um colapso porque não conseguem fazer com que algo (como um brinquedo ou um dos pais) faça o que querem. Aprender a lidar com a frustração é uma habilidade que as crianças adquirem com o tempo. As birras são comuns durante o segundo ano de vida, quando as habilidades linguísticas estão começando a se desenvolver.

Como as crianças ainda não conseguem dizer o que querem, sentem ou precisam, uma experiência frustrante pode causar acessos de raiva. Conforme as habilidades de linguagem melhoram, os acessos de raiva tendem a diminuir. As crianças querem independência e controle sobre seu ambiente - mais do que podem realmente lidar. Isso pode levar a lutas pelo poder quando a criança pensa "Eu posso fazer isso sozinha" ou "Eu quero, dê para mim". Quando as crianças descobrem que não podem fazer isso e não podem ter tudo o que desejam, podem ter um acesso de raiva.

 

 MAS COMO PODEMOS EVITAR ACESSOS DE RAIVA?

Tente prevenir a ocorrência de acessos de raiva em primeiro lugar, sempre que possível. Aqui estão algumas ideias que podem ajudar:

 

·                     Dê muita atenção positiva. Adquira o hábito de pegar seu filho sendo bom. Recompense seu filho com elogios e atenção pelo comportamento positivo.

·                     Tente dar às crianças algum controle sobre as pequenas coisas. Ofereça escolhas menores, como "Você quer suco de laranja ou de maçã?" ou "Você quer escovar os dentes antes ou depois do banho?" Dessa forma, você não está perguntando "Você quer escovar os dentes agora?" - que inevitavelmente será respondido "não".

·                     Mantenha os objetos fora dos limites da vista e do alcance. Isso torna as lutas menos prováveis. Obviamente, isso nem sempre é possível, especialmente fora de casa, onde o ambiente não pode ser controlado.

·                     Distraia seu filho. Aproveite a pouca atenção do seu filho oferecendo algo mais no lugar do que ele não pode ter. Comece uma nova atividade para substituir a frustrante ou proibida. Ou simplesmente mude o ambiente. Leve seu filho para fora ou para dentro ou mude para outro cômodo.

·                     Ajude as crianças a aprender novas habilidades e ter sucesso. Ajude as crianças a aprenderem a fazer coisas. Elogie-os para ajudá-los a se sentirem orgulhosos do que podem fazer. Além disso, comece com algo simples antes de passar para tarefas mais desafiadoras.

·                     Considere o pedido com cuidado quando seu filho deseja algo. Isso é ultrajante? Talvez não seja. Escolha suas batalhas.

·                     Conheça os limites do seu filho. Se você sabe que seu filho está cansado, não é a melhor hora para fazer compras ou tentar fazer mais uma coisa.

Reforço que manter a calma e o equilíbrio é fundamental para podemos observar nossas crianças e ensiná-las sobre o comportamento adequado. Por isso não esqueça de cuidar se para que possa cuidar do outro!

 

Na próxima semana vamos falar sobre o que fazer durante uma birra!

Até a próxima semana

 

Tem alguma pergunta, sugestão de assunto? Espero você com muito carinho!

 

Psicóloga Aline Brito dos Santos

@psialinebrito  .Um grande beijo!





Beijo! Beijo!


You Might Also Like

0 comentários

SUBSCRIBE NEWSLETTER

Get an email of every new post! We'll never share your address.